Powered by Jasper Roberts Consulting - Widget
Os povos originários utilizaram-se dos movimentos dos astros, relacionando-os com os movimentos da terra, para definir o tempo e as passagens das estações, criando ritos que simbolizavam seu religare com a natureza, organizando a época da coleta dos frutos, o cultivo agrícola, a pesca, respeitando a época de procriação e o acasalamento das espécies as quais caçavam. Festejando também os rituais de fertilidade.

   Para melhor definir a passagem do tempo durante o ano, nossos ancestrais criaram calendários solares, posicionando e preparando monumentos megalíticos, que serviram de relógio marcando os solstícios e os equinócios.
No solstício de verão, o Sol está em seu ápice. Ele mantém o seu maior brilho e elevação. O solstício é celebrado por volta de 22 de dezembro no hemisfério sul, e de 22 de junho no hemisfério norte. É o dia mais longo do ano, mas que também representa o declínio do deus Sol. A partir desta data, os dias vão ficando cada vez mais curtos até que chegue o ápice da escuridão no solstício de inverno. Por isso o solstício de verão é um marco que assinala o início da metade escura do ano, ao contrário do solstício de inverno.

   O solstício de verão é tanto um festival de fogo quanto um festival de água, o fogo sendo um aspecto do deus, e a água um aspecto da deusa. A deusa e o deus estão no êxtase de sua união e vemos a Natureza cheia de frutos e flores. É o ápice do amor passional entre ambos. A deusa reina como a Rainha do Verão e o deus aproveita seu auge, pois depois começará o seu declínio até renascer no inverno.

   As homenagens aos seres da Natureza ou às divindades naturais tentam sobreviver ainda hoje com festas populares e folclóricas.

Aqui na Guarda do Embaú, como em outros pontos do nosso litoral e do globo, os povos ancestrais deixaram suas obras. Esses Patrimônios da Humanidade devem agora ser cuidados e preservados, como museu ao ar livre, vívidos de histórias e informações para as atuais e futuras gerações.    

Rodrigo Haeming. C. Pereira:
Pesquisador Autônomo - Naturólugo e Professor Ambiental
Professor de Surf - Email: rodrigo-nap@hotmail.com
Apoio:
Academia da Guarda
Escola de Surf
© Copyright 2001- praiadapinheira.com